Carnaval

Com feijoada, Turma do Quinto lança enredo para Carnaval 2019 neste domingo (9)

A Escola de Samba Turma do Quinto lança seu enredo para o Carnaval 2019 neste domingo (9). O evento será realizado na sede da agremiação, no bairro da Madre Deus, a partir das 13h.

Na oportunidade, a escola de samba irá oferecer uma feijoada para a comunidade e convidados. A direção da TQ fará também a entrega de material do novo enredo, como sinopse, release carnavalesco, informações sobre o planejamento da escola entre outros dados.

Durante o evento a Bateria “Explosão TQ” irá fazer uma apresentação e o evento contará com convidados da cultura popular maranhense. Uma roda de samba e pagode também será realizada.

Carnaval

Na volta à elite, Viradouro terá Paulo Barros como carnavalesco em 2019

O clima de Carnaval ainda bomba nos bastidores do Carnaval do Rio de Janeiro. A principal notícia no momento é a mudança de agremiação do renovado carnavalesco Paulo Barros. Conhecido por trazer tecnologia e modernidade a seus carnavais Barros irá construir em 2019 o Carnaval da Viradouro, que voltou a divisão especial das escolas de samba este ano após três anos fora.

A confirmação de Paulo Barros na Viradouro pelo presidente da escola, Marcelo Calil Petrus. A ideia é fazer um grande desfile de retorno da tradicional escola que pretende voltar já falando em título no Grupo Especial.

O carnavalesco disputou o Carnaval de 2018 pelo Vila Isabel. Seu último título no Rio de janeiro foi em 2017 com a Portela.

Subiu

O título de campeã de 2018 foi definido no último quesito, Comissão de Frente, quando a Viradouro deixou para trás a Unidos de Padre Miguel e carimbou a passagem de volta ao Grupo Especial. A diferença foi de três décimos. A escola de Niterói somou 269,7 pontos, contra 269,4 da agremiação da Zona Oeste carioca, que não mandou representante ao pódio receber o troféu de vice-campeã. A Porto da Pedra, de São Gonçalo, ficou com o terceiro lugar.

Carnaval

Dobradinha campeã de Bárbara Soeiro

Cultura 100% maranhense, as comunidades do Cohatrac e São Cristóvão comemoram a vitória de seus blocos tradicionais, OS APAIXONADOS (campeão) e TROPICAIS DO RITMO (vice), no carnaval 2018, tendo, ambos, fortes pontos em comum: a garra e o empenho de seus brincantes e comunidades e ainda, uma parceria pé quente, grande defensora da valorização da cultura do nosso estado, a vereadora Bárbara Soeiro, que mostra esta defesa na passarela e que no seu mandato apresenta a forte bandeira de luta de criação e ampliação de políticas públicas, que busque resguardar todas as manifestações culturais nas suas mais diversas necessidades, com leis, captação de recursos e apoios, a fim de se trabalhar a cultura de forma digna e perene.

Bárbara Soeiro reconhece que através deste setor pode-se desenvolver todo um agregado de inclusão social, geração de trabalho e renda e preservação dos costumes e tradições dos nossos antepassados, promovendo desenvolvimento e crescimento para diferentes regiões do nosso estado.

Não é de hoje, o empenho da parlamentar para manter vivos costumes e brincadeiras nos mais diversos bairros de nossa cidade, seja zona urbana ou rural, durante todo o ano. Moradora de comunidade da periferia, Bárbara procura atender a todos os grupos que depositam nela sua confiança e apesar de suas limitações, não mede esforços e nem abre mão de participar ativamente de cada etapa do processo de criação cultural de cada manifestação folclórica, vivendo as realidades, a contextualização e a contribuição social de cada uma para a comunidade, a cidade e o estado.

Além dos blocos tradicionais a vereadora também mostra grande carinho e admiração ao trabalho realizado pelas escolas de samba, tendo um trabalho e zelo especial com a Escola de Samba Terrestre do Samba, do bairro da Estiva, onde parabeniza a diretoria e cada participante pelo esforço de manter viva essa tradicional agremiação carnavalesca.

Carnaval

Os campeões do Carnaval de São Luís em 2018

Foto: Reprodução/TV Mirante

Os campeões do Carnaval de São Luís foram conhecidos nesta quarta-feira (14). Em apuração realizada no teatro Alcione Nazaré, os blocos organizados e tradicionais e as escolas de samba tiveram suas notas conhecidas.

A grande sensação ficou por conta da surpreendente vitória da Marambaia, que de forma inédita conquistou o título do Carnaval de São Luís. A escola de samba do Bairro de Fátima levantou o caneco com o enredo “Nordeste Brasileiro”. Flor do Samba, Mangueira, Favela, Turma do Quinto, Império, Túnel do Sacavém, Mocidade da Ilha, Unidos de Fátima, Terrestre do Samba e Unidos de Ribamar vieram na sequência.

O grande campeão dos blocos tradicionais foi Os Apaixonados, com o tema “Nem mesmo esse feitiço deterá a nossa paixão”. Por critério de desempate Os Tropicais do Ritmo ficaram na segunda colocação. No Grupo B, os vencedor foi ‘Os Guerreiros do Ritmo’, do bairro da Liberdade. Em segundo lugar ficou o bloco ‘Os Baratas’, da Madre Deus. Ambos ascenderam a elite dos tradicionais.

Nos blocos organizados melhor para a Turma do Saco, que homenageando o artesão José Veloso chegou a bicampeonato de sua categoria. A agremiação fez a festa no bairro do Lira.

 

Carnaval

Cantando magias do Maranhão, Tatuapé é bicampeã em São Paulo

O Maranhão ganhou o Carnaval de São Paulo. Em apuração realizada na tarde desta terça-feira (13) a Acadêmicos de Tatuapé foi consagrada bicampeã do desfile paulista. A escola da Zona Leste levou para avenida as magias do Maranhão com o enredo “Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria”.

A Tatuapé foi campeã levando apenas um 9.9, no quesito samba-enredo. Muito injusto por sinal. Todos os outros itens tiveram nota máxima.

Homenageando a cantora maranhense Alcione, a Mocidade ficou com a segunda colocação. A Peruche e a Independente Tricolor foram rebaixadas.

Apresentação Enredo 2018

Um enredo que pudesse traduzir o fascínio, a magia do Maranhão, através da singela fidalguia de seu povo, da riqueza de seu meio ambiente e da expressiva diversidade de seu patrimônio cultural.

Foi esse, o nosso propósito, ao conceber e delinear o projeto deste enredo, que se constitui, antes de tudo, num terno afago no corpo dessa cidade cativante, de codinomes aparentemente tão antagônicos como Ilha do Amor, Ilha Rebelde, Cidade dos Azulejos, Athenas Brasileira, Terra das Palmeiras e atualmente Jamaica Brasileira.

Procuramos dessa maneira, não excluir deliberadamente nada que fosse representativo à compreensão do perfil de nossa composição étnica, passando pelos ritos devocionais, de sentido religioso, até às festas populares, de caráter mais essencialmente profano. Do mesmo modo, tentamos reunir aqui a força criativa com que o homem interpreta a realidade para transformá-la, sob as mais diversas formas de manifestação artística, com motivações utilitárias ou estéticas, mais pelo seu significado expressivo do que pelo seu conteúdo formal. De modo que, com esse sentido de abrigar, de reunir, pudéssemos ir materializando a alma da cidade, para entregá-la às pessoas, da forma mais artística e plasticamente perceptiva.

No centro dessa emoção, o homem, como seu agente principal, como fim último, e seu meio ambiente, donde retira a sobrevivência, a partir das águas do mar, dos rios, dos mangues, da flora e da fauna, da sabedoria da cura pelas ervas do mato, do sabor das frutas de época, do tempero quente da culinária, da melodia dos versos de seus poetas, artistas, cantores e compositores, e do canto sonoro de seus pássaros. O homem e seu meio urbano. A presença da cidade e a imponência de suas formas arquitetônicas, provindas do Império, com o ecletismo, da República e a singeleza de suas moradias populares.

Realizamos uma minuciosa pesquisa sobre o Estado e seus habitantes, buscando mesmo, no subsolo cultural de seu povo, os fetiches, na simbologia das danças e dos ritos. Para isso, no entanto, optamos pela linguagem carnavalizada, tão rica pela sugestão de suas cores e formas, para eternizar as emoções mais profundas, colhidas nos flagrantes que o cotidiano nos ofereceu. Registramos os elementos mais simbolicamente significativos dessa cultura, por representarem herança histórica, por serem referenciais de decisiva importância à compreensão da natureza, dos usos e costumes dos habitantes. Vamos conhecer um pouco de seus encantos, culturas, tradições que existem em São Luís e no estado do maranhão, pouco conhecido dos brasileiros.

Estamos contribuindo para a preservação de nossa memória e de nossa identidade cultural do nosso povo, do nosso Brasil.

Samba-enredo

NO MAR! FOI NO BALANÇO DO MAR
QUE O SONHO APORTOU NA ILHA DA MAGIA
LÁ TEM PALMEIRA ONDE CANTA O SABIÁ
O SOL NAMORA A BELEZA DO LUGAR
CENÁRIO DE POESIA
TANTAS BATALHAS NESSE TORRÃO
HERANÇA DE LUTA, CULTURA E AMOR
ÔÔÔÔ, O NEGRO TANTO CLAMOU
A LIBERDADE AOS PÉS DO SENHOR

Ô LUAR, Ô LUAR
DEIXA A GIRA GIRAR … CRIOULA
HOJE TEM CANJERÊ, FEITIÇARIA, Ô
JÊJE- NAGÔ, KAÔ MEU PAI XANGÔ

Ê, TEM CANTORIA! EITA POVO FESTEIRO!
TEU FOLCLORE É TRADIÇÃO
Ê, CHORA VIOLA
PRETA VELHA CONTA HISTORIA, LENDAS DESSE CHÃO
Ô, QUEBRA O COCO IÁ IÁ
MATRACAS VÃO EMBALAR
BUMBA-MEU-BOI, MEU CAZUMBÁ
OUVINDO REGGAE DO BOM
É CARNAVAL VEM CURTIR ESSE SOM
É EMOCÃO, O MEU PAVILHÃO VAI GIRAR
NA TERRA DA ENCANTARIA
OS TAMBORES VÃO ECOAR

VIVA SÃO JOSÉ, VENHA ME VALER
ILU AYÊ Ô ILU AYÊ
TATUAPÉ NUMA LINDA PROCISSÃO
CANTA SUA HISTÓRIA…OH! MARANHÃO

Carnaval

Perdeu o desfile da Mocidade em homenagem a Alcione? Assista aqui

Na madrugada de sábado para domingo (11) a Mocidade Alegre levou para o Carnaval de São Paulo uma homenagem a cantora maranhense Alcione e foi um dos destaques nos desfiles das escolas de samba da capital paulista. Com enredo “A voz Marrom que não deixa o samba morrer” a agremiação foi a terceira a desfilar.

Perdeu o desfile? Não tem problema. O Blog do Afonso Diniz traz ele para você. Acompanhe o show:

Carnaval

Homenageando Alcione, Mocidade Alegre desfila nesta madrugada

Nesta madrugada (11) a Mocidade Alegre, que traz para o Carnaval de São Paulo uma homenagem a cantora maranhense Alcione, será um dos destaques nos desfiles das escolas de samba da capital paulista. Com enredo “A voz Marrom que não deixa o samba morrer” a agremiação será a terceira a desfilar.

A TV Globo transmite o desfile das escola de samba de São Paulo a partir das 22h30 (horário de Brasília). A Mocidade Alegre entra na avenida às 0h40 (horário de Brasília).

Ordem dos desfile de São Paulo neste Sábado (10/2)

22h30 – X-9 Paulistana

23h35 – Império de Casa Verde

00h40 – Mocidade Alegre

01h45 – Vai-Vai

02h50 – Gaviões da Fiel

03h55 – Dragões da Real

05h00 – Unidos de Vila Maria

Samba-enrendo da Mocidade Alegre 2018

‘A voz Marrom que não deixa o samba morrer’

“Mãe negra, baila seu sonho no ar

Exala o canto da flor mais bela

‘O sol há de brilhar mais uma vez’

O povo desce o morro para consagrar

A voz que eterniza a força do nosso cantar

Na gira do jongo que invade o terreiro

Fiz do samba de roda, um batuque feiticeiro

Numa linda ‘aquarela’

Marrom é o tom da nossa canção

É raiz da resistência, a negra inspiração

São Luís do Maranhão, ilha do amor

Onde o canto da menina… ecoou

A batida do tambor, é pro santo abençoar

Bumba meu boi, festança popular

Mulher,

Toda forma de amar se traduz em você

O dom de tocar corações

Encantar, provocar emoções

‘À flor da pele’ declama ‘delírios de amor’

Mangueria, sua paixão, estação primeira

No chão de esmereladas em mangueira

Refloresce a cada carnaval

Num amanhã verde e rosa

Ao sambita mais novo,

Deixa um pedido final

Não deixe o samba morrer

Não deixe o samba acabar

Na mocidade, vem ver, o nosso povo cantar

A poesia sorriu ao falar de emoção

Em sua voz, marrom!”